Navegar para Cima
Logon
   
Rodobens Notícias
Caiu na rede, é emprego garantido
 
Pesquisa da Catho Online aponta que 11% dos empresários usam classificados de sites para contratar profissionais; moda pegou entre rio-preteneses que cada vez mais usam o método como porta de entrada no mercado de trabalho
 
Na onda do networking, prestadores de serviços, profissionais já com espaço no mercado e jovens recém-formados usam a internet como meio de aproximação de clientes e empresas de diversos segmentos do mercado.
 
Rio Preto, segundo dados da Catho Online (maior site com vagas de emprego no país), é a quarta região do estado em geração de empregos neste ano, com 22.518 postos criados.
 
O analista de automação Marcos Sigrist utiliza a internet para vender projetos para empresas de várias partes do Brasil. Com sistemas desenvolvidos especialmente para usinas de açúcar e álcool, ele presta serviços nos estados de Alagoas, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás e São Paulo, atendendo 35 empresas. “A internet é o melhor meio de aproximação para o trabalho que desenvolvo. Apresento projetos via e-mail, faço contato com o departamento de TI (Tecnologia a Informação) das empresas e só depois de serem previamente aprovados é que existe o contato pessoal”, explicou.
 
O vendedor Bruno Gustavo Mazzoni, de 29 anos, está no mercado de trabalho graças à ajuda da internet. Depois de sair da empresa em que trabalhava, ele colocou uma frase no MSN dizendo que estava disponível no mercado e que gostaria de voltar a trabalhar em uma empresa de telefonia móvel. No mesmo dia, ele teclava com um amigo quando a atual chefe viu a mensagem e pediu para falar com ele. No outro dia aconteceu a conversa e a contratação. Bruno se mudou p ara São Carlos e assumiu o emprego. “Foi instantâneo, mais rápido e prático do que os métodos convencionais”, disse Bruno.
 
O analista de negócios Ricardo Nunes de Oliveira, 32 anos, também chegou à empresa por meio da internet. Ele cadastrou o currículo na Rodobens buscando uma vaga de estagiário, quando fazia o curso de engenharia da computação. O currículo de Ricardo foi escolhido e ele ficou com a vaga. Trabalhou por dois anos como estagiário e depois que se formou passou a ocupar cargo efetivo na empresa. “É uma prática comum hoje em dia. A internet oferece essa alternativa e tem muita gente se aproveitando para conseguir espaço no mercado”, afirmou.
 
Empresa começa caça de talentos na internet
 
A empresa UGL Consultoria começou há pouco mais um mês, em Rio Preto, uma campanha de recrutamento de talentos pela internet. Por meio do site www.uglconsultoria.com.br são inscritos currículos para seleção de perfis que possam ocupar cargos em empresas de clientes, parceiras ou até na própria UGL.
 
A gestora de recursos humanos Luciana Cristina Elias de Oliveira disse que o novo projeto da UGL faz uma espécie de “caça talentos”, e que desde o início do projeto mais de 300 currículos já foram inscritos. “O objetivo é encontrar o perfil adequado do profissional para preencher uma vaga que requer conhecimentos específicos”, disse Luciana, que vê a internet como ferramenta de inclusão no mercado de trabalho.
 
Luciana explica que as empresas devem utilizar as redes sociais, desde que com propósitos corporativos e não pessoais, como estratégia de divulgação de seus negócios e venda de produtos. No entanto adverte que o relacionamento com público nas redes não é tão simples como parece, e que é preciso ter qualificação na área de marketing e especialidade para atender ao chamado marketing digital.
 
O grande desafio, segundo Luciana, é encontrar profissionais com experiência gerencial e visão de negócios por que as habilidades do passado não são mais suficientes, porque divulgar uma marca pressupõe divulgar todo um conceito corporativo.
 
Na opinião de Luciana, o maior resultado do impacto da profissionalização dentro das empresas tem sido o recrutamento, porque identificar bons profissionais nas áreas de marketing, jurídica e finanças, por exemplo, não está sendo tarefa  fácil. A região de Rio Preto vem de uma cultura voltada ao comércio varejista e ao mesmo tempo forma muitos profissionais que têm uma graduação e carreira mal estruturadas.
 
Bom ambiente motiva as carreiras
 
Outro aspecto da pesquisa com os 46.067 mil executivos do país foram os principais aspectos motivacionais na carreira. Os profissionais apontaram o “bom relacionamento com as pessoas do trabalho” (8,6%) como o principal fator de motivação, seguidos por “reconhecimento como bom profissional” (8,4%) e “fazer o que gosta” empatado com “trabalhar com pessoas que admira e respeita” (8%). Acúmulo de dinheiro e bens foi o fator menos importante citado (6,1%).
 
Getúlio Salvador
Agência BOM DIA
 
Empresas Rodobens | 2013 | Todos os direitos reservados
Empresas Rodobens | 2013 | Todos os direitos reservados